Estão abertas as inscrições para Residência Médica do HUAP

Estão abertas, até o dia 27 de outubro, as inscrições para a Residência Médica 2021 do Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP). São diversas especialidades, totalizando 92 vagas no edital, com duração do programa de um a três anos, a depender da área de atuação. A organização do processo seletivo é da Comissão de Residência Médica (COREME) do hospital. A prova será realizada no dia 31 de janeiro do próximo ano e, por conta da pandemia de coronavírus, algumas alterações serão feitas para a segurança de todos.

As chamadas medidas de precaução de contato e rastreabilidade de infecções, especialmente aquelas relacionadas à Covid-19, foram criadas com o intuito de diminuir o tempo de exposição e contato do candidato e possíveis aglomerações. As principais medidas são: uso obrigatório de máscara durante toda a realização da prova; aferição da temperatura no ato de admissão no local; assentos espaçados pré-determinados para manter o distanciamento; recomendação de higiene das mãos com álcool em gel, disponibilizado na entrada da sala; e diminuição no tempo de duração da prova, de 4h30 para 2h30.

“Nós remarcamos a prova para janeiro com a esperança de que a situação da pandemia esteja melhor do que em novembro, que é quando tradicionalmente é feita. Nunca foi tão tarde assim. Foi importante também diminuir esse tempo de prova, pois você tem que levar em conta que o candidato deve chegar uma hora antes, sendo acrescido à duração. Então, diminuímos o número de questões. A prova do último ano teve 80 questões. Agora serão 50 questões”, explica o Coordenador Geral da COREME, Professor Wolney Martins.

O professor acrescenta que serão disponibilizadas o dobro de salas para que haja o distanciamento correto entre os candidatos. Outra novidade deste ano é a eliminação da avaliação curricular. O concurso sempre seguiu o tradicional modelo 90-10, que é 90% de prova e 10% de avaliação curricular. Essa última necessitava que o candidato fosse à COSEAC levar os documentos, além de bancas compostas por muitas pessoas terem que se reunir para avaliar currículos. Então, isso foi simplificado e será somente a prova.

Em relação aos grupos de risco, é solicitado que estas pessoas não se inscrevam, por conta da preocupação não só com a prova, mas também, como diz Wolney, com o futuro do seu trabalho: “Geralmente, o grupo de risco tem uma condição crônica pré-estabelecida. Se ele for aprovado, provavelmente não poderá assumir, já que na data da posse (1º de março de 2021) ele não vai iniciar a residência com a situação de pandemia ainda não resolvida”. O Coordenador complementa que, no caso de pessoas que apresentarem sintomas gripais na data do concurso, elas não precisarão desistir de realizar a prova:

– Teoricamente, se ele se declarar sintomático no dia, será direcionado a uma avaliação médica. Se for o caso de alta suspeição de Covid-19, é provável que a gente reserve uma sala só para ele, como uma forma de isolamento mesmo. Se for um sintomático leve, ele também pode ser reservado em uma sala. Ou seja, teremos algumas salas especiais já contando com isso. Porque pode acontecer de a pessoa se inscrever bem agora em outubro, mas ter sintomas justamente na data do concurso.

 “Residência é treinamento em serviço”, diz Gerente de Ensino e Pesquisa do HUAP

Os Programas de Residência Médica das instituições de saúde são acompanhados pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM), criada pelo Ministério da Educação. Segundo o órgão, “a residência médica é uma modalidade de ensino de pós-graduação destinada a médicos, sob a forma de curso de especialização”, sendo chamada de “padrão ouro” da formação em medicina. Segundo o Gerente de Ensino e Pesquisa do HUAP, Rubens Antunes Filho, os programas são importantes principalmente porque são médicos que fazem a formação e atuam na assistência.

“O hospital está sempre melhorando com relação à formação e à capacidade de formar bons profissionais. É no serviço que o residente atua. Então, isso obriga o hospital a melhorar os seus serviços, os seus equipamentos e o seu funcionamento. Com isso, você tem a possibilidade de formar uma mão de obra qualificada para atuar no dia a dia como especialista. É fundamental na formação de bons profissionais para atuarem no SUS ou até mesmo na rede privada. Ainda que estes residentes sejam preceptorados por médicos do hospital, eles também são médicos atuantes. A residência é treinamento em serviço “, complementa.

A CNRM é quem define a data de início de programa, que é padronizada para o dia 1º de março de todo ano. Além disso, a comissão dita quais serão as vagas, a partir do que foi pedido por cada unidade de saúde. A vaga depende da condição de oferta de formação, não da necessidade de serviço interno. Para este ano, por exemplo, uma mudança no concurso é o aumento no tempo de residência de ecocardiografia, que foi de um para dois anos de programa. De acordo com Wolney, isso ocorreu pelo crescimento da área e pelo surgimento de novas técnicas.

O professor lembra que será necessário observar quais normas da vigilância epidemiológica estarão em vigência no momento da realização da prova, já que estas vão mudando de acordo com o status da pandemia. “Ainda não sabemos como estará na época do concurso. Uma semana antes da prova, vamos soltar um comunicado com algumas instruções na página da COSEAC, que serão as vigentes em janeiro”, finaliza. Para se inscrever no processo seletivo, acesse o link (até o dia 27 de outubro): http://www.coseac.uff.br/concursos/coreme/2021/.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *