Marcus D’Almeida faz história e vai às quartas do Mundial de Tiro com Arco

Derrubar um atual medalhista olímpico e garantir uma vaga histórica nas quartas de final do Mundial do Tiro com Arco. Essa era a missão de Marcus D’Almeida nesta quinta-feira, em Yankton, no estado de Dakota do Sul, nos Estados Unidos, que recebe a competição ao longo desta semana. O desfecho não poderia ser melhor para o brasileiro. Ao bater o holandês Steve Wijler por 7 a 3, o arqueiro do Rio de Janeiro igualou o melhor resultado da história do Brasil no torneio individual.

Depois de igualar o maior feito do país na modalidade ao fechar em 9º nos Jogos Olímpicos de Tóquio, mesma posição de Ane Marcelle na Rio 2016, Marcus D’Almeida volta a colocar seu nome no cenário mundial, desta vez, nos Estados Unidos. Adversário de hoje, Wijler encerrou a participação nas Olimpíadas com a medalha de prata na competição por equipes mistas, que teve D’Almeida na 40ª colocação.

Desde Sarah Nikitin, na edição de 2013, o Mundial de Tiro com Arco não tinha um brasileiro nas quartas de final do individual. Número 20 do mundo, D’Almeida garantiu classificação em segundo lugar no ranqueamento. Nesta quinta-feira, ele repetiu o resultado da terceira rodada, quando bateu por 7 a 3 Dan Olaru, da Moldávia, número 26 do mundo.

O brasileiro pode conquistar um caminho ainda mais longo em solo norte-americano. Isso porque o próximo adversário será o turco Ak Samet, 48 posições abaixo do carioca no ranking mundial. O rival, no entanto, chega para o confronto com quatro vitórias consecutivas, uma vez que iniciou a campanha ainda na primeira rodada, com destaque para a vitória por 6 a 5 sobre o espanhol Pablo Acha, 15º do mundo.

O próximo duelo de D’Almeida no mundial acontece neste domingo, a partir das 16h38 (de Brasília). As semifinais e final serão decididas no mesmo dia.

Quebrando recordes

Essa semana, o arqueiro carioca também competiu pelas equipes mistas ao lado de Ane Marcelle dos Santos. A dupla acabou derrotada na segunda fase por Lu Dai-Ling e Wei Chun-Heng, de Taipei, medalhista de prata em Tóquio. Na disputa por equipes masculina, o brasileiro também fez história ao alcançar as quartas de final ao lado de Marcelo Costa e Bernardo Oliveira. O trio acabou superado pela Coreia do Sul, que contou com os arqueiros Kim Woo Jin, Oh Jin-Hyek e Kim Deok, cada um com duas medalhas de ouro olímpicas em seus currículos.

Briga por medalha inédita na disputa por equipes

Se no individual masculino Marcus D’Almeida pode fazer história mais uma vez, na disputa por equipes feminina o caminho pode ser ainda mais longo. O trio formado por Ane Marcelle, Ana Machado e Sarah Nikitin alcançou as semifinais, melhor resultado do país na competição. As brasileiras acabaram derrotadas por 6 a 0 pela equipe do México, formada pela medalhista olímpica Alejandra Valencia (bronze na dupla mista em Tóquio), Aida Roman e Ana Vazquez.

Apesar da derrota nas semis, o trio brasileiro ainda disputará a medalha de bronze, o que colocaria o Brasil pela primeira vez em um pódio do Mundial. A disputa acontece nesta sexta-feira diante da França, a partir das 12h (horário de Brasília). (G1)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.