COMEÇA VACINA DOMICILIAR CONTRA O H1N1

Todo o contingente de agentes de saúde de Maricá iniciou na manhã desta segunda-feira (23/03) a vacinação domiciliar de idosos contra o vírus Influenza (H1N1). Um total de 25 veículos seguiu em direção aos diferentes bairros levando as doses a serem aplicadas. A concentração foi em frente ao prédio onde funciona a sede da Secretaria de Saúde, no Centro. A inédita medida – dentro da campanha nacional de vacinação – é parte da estratégia de combate à expansão do coronavírus, que ainda não registra casos confirmados da doença.

Antes da saída dos carros, o prefeito Fabiano Horta e a secretária Simone da Costa falaram com os agentes. “Essa ida às casas das pessoas vai salvar múltiplas vidas, além da antecedência com que estamos agindo. Todos aqui são parte importante do processo de evitar que os idosos saiam de suas casas. Estamos nessa luta juntos e, já que não se pode falar em mão, então aqui ‘ninguém solta o coração de ninguém”, reforçou a secretária.

Em seguida, Fabiano Horta agradeceu aos agentes que estavam indo para as ruas e afirmou que este período que vivemos vai marcar as próximas gerações. Ele reiterou ainda a necessidade de os idosos permanecerem em suas casas.

“Todos que estão aqui são profissionais preparados para esse front de batalha, que estão levando a vacina e a informação. Fiz questão de vir aqui e não podia deixar de agradecer a vocês que vão para a rua. Muita dor e muito choro serão poupados por causa dessa ação que começamos hoje, porque a grande proteção que temos de fazer é a proteção do outro e quem é não só profissional, mas também humano, deve acreditar nisso”, afirmou o prefeito, ao lembrar que os próximos dias serão fundamentais.

“Vamos ter uma semana decisiva para diminuir a curva ascendente da COVID-19. Por isso é muito importante permanecer em isolamento e, também por isso, ampliamos o fechamento do comércio na cidade até o dia 5 de abril. É o tempo que precisamos para estruturar nossa rede de saúde para absorver os casos que devem surgir”, ressaltou.

Neste primeiro dia de vacinação, as equipes estiveram em todos os distritos da cidade, que tem 18 mil idosos cadastrados nos postos. Aqueles que ainda não estiverem cadastrados devem telefonar ao posto de Saúde mais próximo da residência (a relação dos telefones se encontra no site da Prefeitura) e aguardar o retorno marcando a visita. Em caso de mais dúvidas, dois canais diretos estão abertos para a população: o Whatsapp do Idoso (99451-0988) e o Disque Idoso (99106-9298). A prefeitura acrescenta que está suspensa toda vacinação que não é de gripe.

Uma das comunidades visitadas foi a da Divinéia, na Barra de Maricá, que tem uma expressiva população acima dos 60 anos. A pessoa mais idosa a receber a vacina contra o H1N1 foi Maria Barcelos, de 96 anos de idade. Na casa onde mora, ela e outras três pessoas receberam doses.

“Adorei a visita, senão teria de ir ao posto e, como uso um andador, ia ser difícil”, relatou ela, ao lado de Dolores Maria Caldeira, de 86 anos. “Foi ótimo, me trataram muito bem”, observou, enquanto o filho e a nora também eram vacinados. Vizinha delas, Dilacila Cortes Guedes também ficou aliviada com a passagem dos agentes de saúde. “Foi melhor assim já que não dá para ir ao posto”, disse a paciente nascida e criada no bairro há 86 anos.

Para alguns, além do risco de exposição ao coronavírus, havia ainda outras dificuldades para se vacinar. Um desses exemplos é o de Agnaldo Godofredo Inácio, de 73 anos, que está impossibilitado até de sair da cama após fraturar o fêmur. “Para mim é bem complicado porque nem tenho como sair daqui. Gostei muito do que fizeram, me deixa mais tranquilo”, garantiu.

Para Edson Coutinho Ferreira, que tem 70 anos e é deficiente visual, a visita poupou o transtorno de ser levado até o local de vacinação. “Minha esposa já se vacinou e eu ia lá com ela, mas não foi preciso. Foi muito bom eles terem vindo aqui, gostei mesmo”, afirmou.

Confira o cronograma de vacinação

23/03 – Idosos (pessoas acima de 60 anos) e profissionais de Saúde

16/04 – Professores de escolas públicas, privadas e profissionais das forças de segurança e salvamento.

09/05 – Crianças de 6 meses até menores de 6 anos de idade, doentes crônicos, gestantes, povos indígenas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e adultos de 55 a 59 anos de idade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.